História

História

 
...

 

A Adega Cooperativa de Mangualde nasce na década de 60, década marcada pela valorização, expansão e implementação do espírito e dos valores cooperativos em Portugal. De facto, a agricultura na sociedade, potenciada pelo cooperativismo, possibilitou o seu desenvolvimento e organização como componente socioeconómica estrutural nas diferentes regiões portuguesas. Assim, no dia 4 de Dezembro de 1963, assente em valores democráticos e de responsabilidade social, é constituída a Adega Cooperativa de Mangualde, CRL., por escritura pública.

Na década de 70, a Adega, já com sede própria, laborava pela primeira vez, aproximadamente meio milhão de quilos de uvas dos seus cooperantes produtores de uvas. Sem recursos a apoios estatais, foram os cooperantes a origem de todo o capital investido.

Na década de 90, iniciou-se um processo de investimento e modernização, quer ao nível de instalações, quer ao nível de equipamentos laboratoriais e de controlo de qualidade dos vinhos. Pela primeira vez, a Adega recorreu a fundos estatais e comunitários, construindo um centro de vinificação e estabilização para vinhos e investindo numa linha de engarrafamento própria. Também ao nível de recursos humanos houve uma aposta na formação e contratação de pessoal qualificado nas áreas de enologia e gestão e foram desenvolvidas parcerias com entidades e instituições locais.

Atualmente, a Adega de Mangualde procura manter e melhorar os seus padrões de qualidade, que se refletem nos seus vinhos. A par da evolução tecnológica e social, apresenta ainda uma cultura de marketing em constante desenvolvimento, assente no marketing sensorial, na estimulação dos sentidos. Nesse âmbito, existe uma dinâmica de marcas e vinhos para diferentes públicos.

Tem-se assistido a uma evolução e associação crescente entre o turismo e a agricultura. Assim, o vinho e os trabalhos associados à sua produção e conceção têm despertado um interesse crescente para a sociedade e economias locais, não só na componente gastronómica, como também na componente do enoturismo.

Nesse sentido, no dia 20 de março de 2015 foi inaugurado o Centro Interpretativo da Vinha e do Vinho de Mangualde, resulta de uma candidatura ao Subprograma 3 do PRODER, Abordagem LEADER – Conservação e Valorização do Património Rural e visa recriar, num só local, todo o ambiente vitivinícola, associado a elementos de caráter patrimonial e turístico. A exposição permanente foi concebida de modo a permitir ao visitante conhecer todo o processo de produção do vinho, assim como as tradições e experiências sensoriais que lhe são inerentes, desde o cultivo da videira à degustação do vinho.